Homem que matou mulher em bar no Mutirão se entrega a PC


Réu confesso no crime de feminicídio, Mário Barbosa temia pela vida: queriam me matar, foram muitas ameaças, disse




Mário: queriam me matar depois do crime: mulher pegajosa, justificou o crime de feminicídio


Assassino confesso da ex-garota de programa Elisangela Maria Barbosa, assassinada à facadas no começo do mês no Bacanas bar, no bairro Mutirão, em União dos Palmares, Mário Ferreira dos Santos procurou a delegacia regional de Polícia para se entregar. Ele disse que matou "Eli" por que ela não estava mais dando sossego a ele, "a nossa relação estava desgastada", disse.

Outra situação colocada pelo acusado aponta para supostas ameaças de vida que ele vinha sofrendo por alguns amigos depois que matou a ex-companheira. "Por onde eu passava eu sentia que estava sendo seguido, perseguido. Os olhares das pessoas próximas a mim falavam isso no meu subconsciente. Resolvi me entregar. Quero viver", revelou.

Mário Ferreira dos Santos conheceu Elisangela Barbosa numa festa. Quando bati os olhos nela foi amor a primeira vista, disse. Ficamos saindo, pois tomávamos umas e outras e na casa dela eu dormia. Mas a Elisangela era pegajosa demais, não me dava sossego, e a minha relação com ela ficou insosso", contou.

 



Comentários