Fundeb: Paulão do PT, Izac da CUT e movimentos sindicais somem e deputados fujões derrotam os professores





O Poder da Caneta do Governador garantiu a vitória do Estado contra os professores, numa sessão que certamente entrará para a história como uma das mais covardes de todos os tempos. Com 16 deputados presentes, os professores venceram por 10 x 6, mas precisavam de 14 votos para terem seus direitos, já assegurados por lei, mantidos.

É preciso reconhecer a coragem e firmeza dos seis parlamentares governistas que foram à sessão e confirmaram fidelidade ao governador: Paulo Dantas, Marcos Barbosa, Fátima Canuto, Francisco Tenório, Ricardo Nezinho e Silvio Camelo

Os humilhados devem ser exaltados para honra dos professores: Galba Novaes, Tarcizo Freire, Davi Davino Filho, Bruno Toledo, Cabo Bebeto, Cibele Moura, Davi Maia, Inacio Loiola, Jó Pereira e Léo Loureiro.

O que dizer de Jairzinho Lira, que estava presente, mas se escondeu na hora do voto. Os demais faltosos não merecem comentários.

Mobilização Nota 0

A derrota dos professores, é bom que fique registrado, só aconteceu porque os movimentos sindicais e seus líderes, como o deputado Paulão do PT e Izac da CUT, desmobilizaram qualquer possibilidade de mobilização e protestos, deixando os mestres da sala de aula órfãos e humilhados. É que eles são da base aliada do governo e também mostraram fidelidade a Renan Filho. 

A manutenção do veto governamental ao projeto de lei que trata do rateio das sobras do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) contraria decisão judicial e o caso seguirá nas barras da justiça.

Fujões fizeram a diferença

A Casa de Tavares Bastos é tão esquisita que o placar de 10 a 6 deu vitória ao lado perdedor. É que lá, além de centenas de marajás, deputado fantasma na sessão tem o poder da decisão.

Wadson Régis é editor-chefe do AL1



Comentários