PM faz buscas para prender marchante acusado na morte de ajudante


Hitalo Galvão não tinha histórico de violência, mas acabou matando ajudante a faca na feira livre dos Terrenos




Vítima




 

A feira livre do bairro Roberto Correia de Araújo serviu como cenário de um crime de extrema crueldade, protagonizado pelo marchante, Hítalo Roberto da Silva Galvão, de 26 anos. A fúria do acusado foi registrada num celular de uma feirante que em pânico gritava "ô meu pai do Céu!" e que o blog publica nessa reportagem.

Foram 5 segundos de intolerância, ódio e rancor de Hítalo Galvão, ex-candidato a vereador nas eleições de 2016 e que ele não tem histórico de violência em União dos Palmares.

O crime aconteceu nas escadarias da igreja do padroeiro do bairro Roberto Correia de Araújo, São Sebastião, que nos dias de feira livre costuma ficar fechada.

Cerca de 30 marchantes formam um corredor de banca de madeira onde expõem carne bovina, suína, caprinos e fato de boi, uma iguaria bastante procurada bem no centro da feira livre.

Uma fonte ouvida pelo blog disse que Hitalo teria sido ameaçado pela vítima dizendo que daria uma facada nele. Gerou-se uma discussão e José Carlos dos Santos, que tem problemas de dicção passou a ser atacado por Hitalo Roberto da Silva Galvão com uma faca-peixeira.

Já caído, a vítima ainda tentava se levantar, mas era contido pelo agressor com vários chutes no abdomem o que impedia José Carlos de esboçar qualquer reação para se livrar da morte.

Fotografias publicadas nas redes sociais, mostram José Carlos caído com golpes profundos de faca na altura da coxa, ante-braço esquerdo e no peito o que provocou morte instantânea na vítima.

O crime aconteceu por volta das 7h da manhã deste domingo,3, e somente as 13h funcionários do IML recolheram o corpo da vítima para necropsia no IML em Maceió. O agressor foragiu-se.



Comentários