Sem Batalhão Ambiental, homens destroem reserva da Mata Atlântica da Laginha em União dos Palmares


Homem extrai madeira da reserva de Mata Atlântica da extinta Usina Laginha











Criada com a finalidade de demonstrar a boa relação com o Meio Ambiente em União dos Palmares, a reserva de Mata Atlântica que margeia a BR-104 a partir do quilômetro 36 pertencente a extinta Usina Laginha a cada dia vem sendo alvo de pessoas que roubam a madeira ainda em crescimento para uso doméstivo ou até mesmo vender a madeira extraída para donos de padarias do município, que mesmo sabendo se tratar de uma prática criminosa em negociam livremente no centro de União dos Palmares.

O blog flagrou um homem com uma carroça carregada de madeira que ele tinha acabado de derrubar. Mesmo sabendo que existe outra técnica: derruba a árvore num dia e dois dias depois vai pegar pois ela já setá seca, mesmo árvore com mais de 10 anos, que foram plantadas pelo empresário João Lyra a partir de 2008. Eles utilizam estradas carroçável mesmo sabendo que em União dos Palmares não existe polícia ambiental, cujo Batalhão fica na cidade de Satuba.

- O primeiro absurdo está nisso ai. União dos Palmares não ter um Batalhão Ambiental. Depois, mesmo existindo uma secretaria municipal do Meio Ambiente ela se torna inoperante nas questões mais simples. Aqui na Serra dos Frios, o desmatamento tem sido um absurdo, tudo aos olhos das autoridades e ninguém faz nada, disse o ex-vereador Gilvan de Melo, ambientalista e morador da serra dos Frios.

Quanto a reserva de Mata Atlântica a partir da antiga churrascaria da Usina Laginha ela tende a desaparecer, haja vista que não existe replantio de sementes e o quadro nos dias atuais é do mais puro abandono.

Em conversa pelo Zap com o apicultor Jean irmão de Ximbras, ele condenou a prática criminosa de algumas pessoas que destroem a reserva de Mata Atlântica do grupo João Lyra. Ele disse que já tentou criar abelhas naquela região, mas um  incêndio criminoso provocando por pessoas do entorno, acabou destruindo todo o apiário e expulsando todos nós apicultores. "Um absrudo", disse.

 



Comentários