Professor Fernando é alvo de homenagem em Campinas-SP


Membros da Unicamp-SP prestaram homenagem a Fernando Antônio



Famíliares do Fernando pedem esclarecimentos da morte do irmão



Lucas: meu irmão era minha referência



Professores da área de pós-graduação da Universidade de Campinas-SP realizaram esta semana uma homenagem ao colega, geógrafo, Fernando Antônio da Silva, de 26 anos, encontrado morto no quarto de uma pousada na cidade de Sobral-CE há oito meses.

O blog descobriu que a família da vítima não engoliu as informações contidas no laudo que atesta a morte do professor como indefinida. Eles acham que existe alguma coisa a mais para ser dita sobre a causa mortis do Fernando que se preparava para alçar voos maiores.

As suspeitas tiram o sono da família Silva, que chegaram da região da Serra da Barriga há 9 anos e foram morar num antigo bairro próximo ao cabaré da cidade(Alto do Cruzeiro) e a 100 metros de onde ocorreu a maior chacina contra adolescentes da Zona da Mata.

Foi na ponte ex-prefeito Afrânio Vergeti que de uma só vez, policiais militares de União dos Palmares mataram à bala jovens dos 14 aos 17 anos acusados de praticarem pequenos furtos e fumarem maconha no lastro da ponte que liga os bairros Alto do Cruzeiro com Terrenos.

Foi uma noite revestida da mais pura saudade celebrada pelos colegas do professor Fernando que vestiram camisetas brancas com a efígie do rapaz chamando a atenção de todos para uma 'nova Geografia'.

De acordo com Lucas da Silva, irmão mais novo de Fernando, "a família deixou a rua Afrânio Vergeti, no Alto do Cruzeiro e colocou o imóvel para alugar e, atualmente passaram a resider no bairro Sagrada família com os pais".

Diante de tudo isso, fica a mais absoluta certeza de que a morte do professor Fernando Antônio não foi de causa natural como subscreveu o médico do IML do Ceará.

Comentários 0

O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Poste o seu comentário