Justiça libera R$ 110 milhões para credores da Laginha


Sede da Laginha Agro Industrial, que está em processo de falência.



Os juízes responsáveis pelo processo de falência da Laginha Agroindustrial liberaram R$ 110 milhões para pagamento de credores da massa falida. Trata-se de mais de 17 mil trabalhadores, que receberão, a princípio, 40% do valor que é devido. Os recursos estão à disposição das varas da Justiça do Trabalho, para que estas efetivamente liberem os valores para os credores, no âmbito dos processos trabalhistas.

Para prestar contas à sociedade, os magistrados responsáveis e a administração judicial da massa falida farão uma apresentação sobre o andamento dos trabalhos no processo de falência, nesta sexta-feira (26), às 11h, no Plenário do Tribunal de Justiça. Participarão os juízes José Eduardo Nobre, Leandro Folly, Marcella Pontes e Phillippe Alcântara, que conduzem a ação judicial na 1ª Vara de Coruripe.

A solenidade terá a presença do presidente do Tribunal de Justiça (TJAL), Otávio Leão Praxedes. Foram convidados o governador do Estado, desembargadores e juízes do TJ e da Justiça do Trabalho, e representantes da Ordem dos Advogados do Brasil, Associação Alagoana de Magistrados, Ministério Público de Alagoas e credores.

Os trabalhadores beneficiados atuavam principalmente em unidades da empresa em Alagoas e em Minas Gerais, mas também em outros estados. A maior parte dos recursos advém da venda, por leilões, das duas usinas Vale do Paranaíba e Triálcool, localizadas em Minas gerais. Os alvarás estão liberados desde sexta-feira (19).

 

Diretoria de Comunicação - Dicom TJAL - IN

imprensa@tjal.jus.br - (82) 4009-3141/3240

Comentários 0

O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Poste o seu comentário