Precisamos dar esse grito de ordem para tanta desordem, por Fábio Cabral


Fábio Cabral é Advogado, músico e escritor



Quem acha que essa disputa é entre certos e errados está muito enganado. Esse momento histórico que o Brasil vive não tem espaço para esse tipo de distinção. Estamos diante de ideias opostas que, com exceção dos radicais apaixonados, independente de ideologia, possuem argumento convincentes. E agora o que fazemos?

Bom, essa é a hora de usarmos a coerência. Não a coerência individualista que visa o melhor pra si, não, a política não pode ser um projeto individual, mas, sim, um projeto coletivo e apesar de toda agressividade apresentada até aqui, fico feliz em ver que estamos falando cada vez mais de política.

No cenário atual, ao contrário do que ouvimos por aí, não é uma briga entre comunistas e facistas, onde muitos gritam sem nem saber direito do que se trata e que na minha opinião de comunista e facista todo mundo tem um pouco, não se trata disso, "simplesmente" estamos diante de um projeto já testado contra um projeto novo. 

Um projeto que, não podemos negar, teve suas glórias e criou programas sociais de grande importância para o nosso país e essa história de que esses programas sociais são para dar esmola pra gente preguiçosa que não quer trabalhar é concepção de quem não entende o que é política. Apesar desses programas realmente darem dinheiro para pessoas que não trabalham, eles não visam quem recebe, mas sim os filhos dessas pessoas, para que eles cresçam com dignidade e futuramente tenhamos menos pessoas na exclusão. Não é o ideal, mas foi um grande passo, pois antes de tudo o Estado tem um papel social.

Eles acertaram, sim, em muitas coisas e o seu maior líder, foi, sim, um grande presidente, temos que ser realistas. Mas o grande problema foi a podridão deixada por trás de tantos acertos. Sabemos o quanto é difícil conseguir aprovar tantos projetos sem entrar no jogo sujo, mas essa história do roubou mas fez não é admissível nos tempos de hoje. Não podemos aceitar, na era da informação, onde todos tem acesso às notícias, que um partido comandado por pessoas que, comprovadamente, participaram de corrupção continue a dirigir o nosso país. Nada justifica esse tipo de defesa.

Pode ter havido o golpe e podem ter passado por cima de algumas normas para que o grande líder desse partido tenha sido preso, mas não resta a mínima dúvida de que eles fizeram parte de um grande esquema de corrupção, isso já foi comprovado, então não se pode admitir a continuidade destes a frente do Brasil. Chega! Se entraram no jogo que agora aceitem as consequências e se houve golpe, foi legitimado pelo povo. Nossa constituição é clara: o poder emana do povo!

Confesso a vocês que sempre simpatizei com o papel social que a esquerda defende, pois acho que nesse mundo temos o papel social de ajudarmos uns aos outros, mas, após refletir e analisar o momento atual que vivemos, mesmo sabendo que a maioria das coisas que ele diz que vai fazer são difícies de acontecer, vou votar em Jair Bolsonaro.

Vou votar porque, mesmo achando que ele ainda não é a pessoa ideal para governar o nosso País, prefiro arriscar em algo novo do que persistir no erro. Vou votar porque o Brasil precisa dar essa resposta de que estamos atentos e não aceitamos corrupção. Vou votar porque precisamos dar esse grito de ordem para tanta desordem. É um risco, mas toda escolha tem um risco por trás. Se não der, na próxima escolho outro e continuo tentando na busca da pessoa certa.

Em 4 anos da para conseguir alguns progressos ou alguns retrocessos para o nosso país, mas, na era em que vivemos e no modelo político que hoje temos, é quase impossível conseguirem destruir a nossa democracia em tão pouco tempo, então prefiro 4 anos de esperança do que completar 17 anos de mentiras.

Mas, como eu disse no começo, não existem certos e errados, quem vota no outro candidato apenas tem um ponto de vista diferente do meu. Cada um defende aquilo que acredita e você não precisa aceitar, mas precisa RESPEITAR! Chega de agressões.

 Fábio Cabral é Advogado e músico

Comentários 3

O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.
  1. CHARLES escreveu em 25/10/2018 19:58:13:


    Quem acha que essa disputa é entre certos e errados está muito enganado. Esse momento histórico que o Brasil vive não tem espaço para esse tipo de distinção. Estamos diante de ideias opostas que, com exceção dos radicais apaixonados, independente de ideologia, possuem argumento convincentes. tem que ser muito burro para ver duas ideias opostas em cenário político e econômico em nosso país , a única mudança será física no Planalto.(professor Charles)

  2. Dr. Gerivan escreveu em 25/10/2018 15:29:31:

    Concordo em numero, gênero e grau. Taí um texto coerente.

  3. escreveu em 25/10/2018 14:12:10:

    Quem acha que essa disputa é entre certos e errados está muito enganado. Esse momento histórico que o Brasil vive não tem espaço para esse tipo de distinção. Estamos diante de ideias opostas que, com exceção dos radicais apaixonados, independente de ideologia, possuem argumento convincentes. tem que ser muito burro para ver duas ideias opostas em cenário político e econômico em nosso país , a única mudança será física no Planalto.

Poste o seu comentário