A obrigação de votar no candidato filho da terra já passou?


Pré-candidatos de União dos Palmares e o voto de obrigação sem discutir nada para União



É inegável reconhecer que os seis nomes colocados no momento para disputar uma das 27 cadeiras para à Assembleia Legislativa de Alagoas por União dos Palmares já são de conhecimento geral. 

O favorito é ex-governador de estado, trata-se do pecuarista Manoel Gomes de Barros. Os demais não são coadjuvantes de uma história política claro, mas se espera muito que eles possam reescrever essa história.

Na mesa, os demais participantes a partir de Francelino Amaro, presidente municipal do Partido dos Trabalhadores; Jairo Campos, ex-reitor da Uneal; radialista, Kleber Marques; Zé Carlos Leão, funcionário público e Zé Alfredo, atual vice-prefeito e que sua candidatura para deputado estadual lhe rendeu uma encrenca danada seguido de um rompimento político com o prefeito Areski Freitas.

Todos eles disputarão supostamente essa eleição. 2018 será o ano das grandes possibilidades de se resgatar as cadeiras que foi do ex-prefeito de União dos Palmares, Afrânio Vergeti de Siqueira e Manoel Gomes de Barros. Claro que Nelito Gomes de Barros teve boa fase na ALE mas numa época sem concorrente qualquer, assim como teve o pai, Manoel Gomes de Barros.

Uma coisa é certa, a gente começa a enxergar nessa gente candidata que quer mostrar o seu legítimo valor. Porque eles apostam ainda no voto de obrigação para com eles, que é aquele voto onde a população é obrigada a votar no candidato chamado filho da terra.

Com o passar dos anso, isso se transformou numa questão cultural que a cada eleição veio ganhando forças até a chegada dos candidatos forasteiros.

Isso foi criado pelos ex-políticos Manoel Gomes de Barros e Afrânio Vergeti. Eles deram muitos empregos de merendeira, vigilante e professor escolar e o contemplado sem concurso tinha ou pagava o ingresso no servço público estadual com o voto, isso até o camarada morrer. Uma situação que passou de geraçãoa para geração.

Manoel Gomes de Barros está sem oxigênio para essa eleição, tenho notado. Procura por um patrocinador para seus gastos de campanha mas não tem sido fácil encontrar. Isso lhe desanima, lhe deiza com Zambo tem sido ruim para sua bílis.

Mano não gosta de gastar. Tem adoração pelo dinheiro e vai morrer sem problema nenhum com a sua prestação de contas de campanha junto ao TRE. Sempre cumpriu o que declarou. Desse mal, tanto sua vida pública como privada ele nunca sofreu.

Por ser o favorito dessa eleição, Manoel Gomes de Barros deveria se reinventar. E com gosto de gas encarar a possibilidade de retornar ao cenário político estadual, mas preferi discutir o sexo dos anjos e tentar justificar que sua candidatura pouco representa por ter sido governador e, que isso não lhe apetece mais. Medroso, não investe para nos dias atuais ser a liderança emergencial assim como foi quando tinha seus 37 anos dee idade.

Kleber Marque depende de Ronaldo Lessa que anuncia dores no espinhaço e diante desse fator saúde o radialista palmarino vai esperar que tudo se resolva. Mais uma vez, Kleber Marques vai perder o trem estando de pé na plataforma da estação.

José Carlos Leão tem uma visão macro. Quer ser votado, não importa se menos de mil votos nessa eleição de 2018. Ele deseja tocar na banda pois o seu sonho mesmo é a prefeitura de União dos Palmares.

Jairo Campos do PC do B tem serviços prestados numa categoria sem força política em União dos Palmares. Foi reitor da Uneal,  espécie de mola propulsora para aa edificação e conclusão da monumental da sede da Uneal.  Muitos torcem, que ele na mistura das fórmulas dos Orixás consiga fazer bem e possa tirar expressiva votação.

Foi abandonado e abandonou ex-amigos que esperavam de Jairo Campos muito mais. nada fez pela tropa.

Quanto a Francelino Amaro, o PT aposta em mais uma expressiva votação de seu candidato em União dos Palmares para deputado estadual e que está de novo, com a cabeça voltada para 2020 e que ele possa sentar numa das 15 cadeiras do Legislativo municipal. Tirará 3 meses de férias da função que exerce na Eletrobras e botará o pé na estrada em busca de uma perfomance inantingível. Será?

Por fim: Zé Alfredo, O ZA, carrega nos ombros a oportunidade de se tornar no mais novo deputado estadual da Zona da Mata alagoana. Precisa ouvir os aliados políticos e engatar a série de denúncias para arrancar o prefeito Kil de Freitas da cadeira. Se transformar num Hercúles da política.

Nessa luta desigual e nesse mundo tão cruel, Zé Alfredo não está nem ai de ser candidato legenda da família Carimbão. Conta como ninguém do voto de obrigação de União dos Palmares, mas pode morrer na praia caso não faça do serviço prestado a sua bíblia política. Se espera muito dele, depois de Manoel Gomes de Barros que poderá deixar o caminho aberto para ZA se tornar num dos nomes mais votados nas eleições 2018. Isso se a canoa não furar.

A seguir: por que os candidatos forasteiros podem superar os filhos da terra nas urnas? Simples e elementar quando o silêncio não se habita no meio e a dissensão se torna no esteio político de muita gente. Vai que dá certo? É o que penso.

Comentários 4

O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.
  1. união escreveu em 10/05/2018 16:49:10:

    Nossa terra precisa de um representante filho de zumbi, temos vários nomes aqui em união mais só vejo um q tem a real chance de se consagra deputado estadual pra representar união dos palamres e nossa zona da mata alagoana q é o vice prefeito Zé Alfredo homem de bem, q nos palmarinos temos q dar essa oportunidade ZA não se esconde sempre q procuramos eles esta a disposição de todos.

  2. união escreveu em 10/05/2018 16:46:16:

    Nossa terra precisa de um representante filho de zumbi, temos vários nomes aqui em união mais só vejo um q tem a real chance de se consagra deputado estadual pra representar união dos palamres e nossa zona da mata alagoana q é o vice prefeito Zé Alfredo homem de bem, q nos palmarinos temos q dar essa oportunidade ZA não se esconde sempre q procuramos eles esta a disposição de todos.

  3. União pra frente escreveu em 10/05/2018 07:13:58:

    Penso que não é inteligente votar em quem fez muito pouco ou quase nada por União mesmo quando pode fazer mais. Se nosso olhar se voltar para o passado veremos que o Manoel de barro não é digno do nosso voto. Temos que votar sim em pessoas da nossa terra porém devemos encontrar pessoas que se preocupe com o nosso povo e não apenas com sua vaidade pessoal. União precisa de novos rumos para seguir e encontrar o caminho do desenvolvimento que até então fora negado por essa velha política.

  4. Palmarino escreveu em 09/05/2018 13:54:05:

    Na verdade oque vai ficar provado nessas eleições e que mano não é mais nada politicamente que ele faz parte do passado e com seguidas derrotas nas urnas, não vou negar que concordo que tem uma boa chance de as eleições sendo para prefeito e vereadores ele teria chance de vencer como vereador e nada mais! Opinião minha e de várias pessoas que converso

Poste o seu comentário