Cinco movimentos sociais de União dos Palmares reforçam manifestação na capital em defesa de Lula Livre










Várias lideranças deram votos de boas vindas e discursaram ainda durante a madrugada de domingo para segunda,16



Um forró improvisado para fugir do frio e chuva na capital







Cerca de 200 trabalhadores dos movimentos sociais MST, MVT, MLST, MLT e MSL, acampados no entorno da Usina Laginha, embarcaram em três ônibus da Via do Trabalho com destino a praça Sinimbú, em Maceió, para deflagrar uma série de manifestações na capital em defesa de Lula Livre.

Nas últimas semanas, esses membros manifestaram sua vontade política no portão da 7ª Vara Federal, localizada nas imediações do Distrito Industrial Afrânio Vergeti(Faninha) entre a recém inaugurada Universidade Estadual de Alagoas(Uneal) e a Indústria orgulho do palmarino de achocolatado, Pepsico - Quaker.

Durante as duas horas em que permaneceram do lado de fora do prédio da Justiça Federal, várias lideranças criticaram a forma como o presidente Lula foi preso em Curitiba. Defenderam uma política de Agricultura Familiar mais próxima do trabalhador, a exemplo da gestão petista.

Para o presidente municipal do PT, Francelino Amaro, "a prisão de Lula em nada vai modificar o desejo do trabalhador em querer vê-lo presidente da República. Lula continuará sendo o nosso líder", disse no microfone da manifestação.

Passava do meio-dia quando ocorreu um levante entre os manifestantes que grittavam "pega, ou não pega?" tendo respostas imediatas da imensa maioria deles de "pega!" "pega!". Não houve conflito, e policiais militares do 2º Batalhão de União dos Palmares acompanharam o protesto com faixas e panfletos disttribuidos pelos manifestantes de 5 movimentos sociais.

Comentários 0

O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Poste o seu comentário