Prefeito confirma renúncia para disputar vaga de deputado federal


Neno da Laje pode ser candidato em lugar do prefeito, Rodrigo Valença de São José da Laje



Depois da desistência de Rui Palmeira (PSDB), pelo menos outros três prefeitos anunciaram a intenção de renunciar aos seus cargos para disputar as eleições deste ano: Rodrigo Valença (PRTB), de São José da Laje; Jarbinhas Omena (PSDB), de Messias e Eduardo Tavares (PSDB), de Traipu.

Faltando quatro dias para encerrar o prazo de desincompatibilização dos cargos, apenas o prefeito de Traipu, Eduardo Tavares confirmou que vai deixar o cargo. A carta de renúncia já está pronta e assinada e será entregue à Câmara de Vereadores do município nesta quarta-feira, 4. A dúvida agora permanece quanto a renúncia dos outros dois candidatos. Rodrigo Valença pode permanecer no cargo e, neste caso,  pai dele, Neno da Laje, seria candidato a deputado federal pelo PRTB.

Após a renúncia, quem vai assumir a prefeitura é o vice-prefeito, Silvino Cavalcante (PSDB), devendo ficar no cargo até o fim do mandado (dezembro de 2020).

“Vou renunciar ao cargo e em seguida retorno para o Ministério Público Estadual, onde deverei permanecer até o início da campanha”, aponta Eduardo Tavares.

Ex-procurador geral, procurador de justiça licenciado do MPE/AL, Eduardo foi pré-candidato ao governo em 2014, mas não chegou a disputar a eleição. Em 2016, venceu a eleição em Traipu e deixa o cargo, 15 meses depois, para disputar provavelmente uma vaga de deputado federal.

“Em princípio sou candidato a deputado federal. Acredito que na Câmara dos Deputados poderei contribuir mais com o Brasil, com Alagoas e com os municípios. Deixo a prefeitura de Traipu com as contas em dia, com a casa arrumada. Reconheço que não é fácil administrar um município na atual situação do país, ainda mais com o sistema que concentra toda a arrecadação na União e Estados, restando aos municípios apenas 5% do bolo tributário”, aponta.

A receita para manter a ‘casa em ordem’, segundo Tavares é gastar menos do que se arrecada: “além disso procurei aplicar bem os recursos públicos, combater a corrupção e, mesmo contrariando setores da população, rompemos com o clientelismo, prática ainda muito comum na nossa política”, pondera.

Eleito pelo PSDB, Eduardo Tavares revela que apesar dos laços de amizade que mantém com o ex-governador Téo Vilela, saiu do partido e deverá se filiar ao PRTB, por uma questão de matemática eleitoral: “não tenho os recursos financeiros que outros candidatos (e mesmo que tivesse não usaria para este fim) e por isso estou indo disputar num grupo onde vamos concorrer em condições de igualdade, com possibilidade de surpreender”, avalia.

Além de contar com o apoio de movimentos nas redes sociais, ET aposta no voto de opinião como principal ferramente para conquistar uma vaga na Câmara dos Deputados: “existe na internet o grupo amigos do ET que tem mais de 3 mil inscritos que certamente vão me ajudar. Além disso vou levar uma proposta de combate a corrupção e de defesa dos interesses da população que certamente será bem aceita em todo o estado, especialmente nos maiores centros urbanos, a exemplo de Maceió e Arapiraca”, aponta.

Edivaldo Junior com o Blog - Ele escreve para o site gazetaweb.com

Comentários 0

O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.

Poste o seu comentário