Justiça retira 70 famílias acampadas em fazenda de União dos Palmares


Desocupação levou cerca de 4 horas



Oficial de Justiça, Robert Manso(jaqueta preta) em reunião com gerenciamento de crises para fazer valer desocupação



Ocupantes das terras do saudoso Zé Ricardo



Alysson, presidente do Conselho Tutelar e a Assistente Social da prefeitura municipal acompanhando desocupação das terras da fazenda Serra da Laje



Gente graúda e aliado do prefeito Kil de Freitas envolvido no movimento a exemplo de Nel do Reggae



Nova área doada pelo prefeito Kil para os invasores da fazenda Serra da Laje



Ocupantes destróem barraco construído na fazenda







Após determinação da Justiça, ocupantes que haviam invadido um terreno em União dos Palmares começaram a deixar o local nesta segunda-feira (5). A reintegração de posse da fazenda Serra da Laje foi determinada pelo juiz José Afrânio dos Santos Oliveira, da 20ª Vara Agrária.

De acordo com o oficial de Justiça Robert Manso, a propriedade estava sendo ocupada pelos Movimentos Via do Trabalho (MVT); Terra, Trabalho e Liberdade (MTL); de Libertação dos Sem Terra (MLST); e de Luta pela Terra (MLT). Eles estavam acampados desde o último dia 16 de novembro.

Na ocasião, o juiz já havia determinação a desocupação de forma voluntária dentro do prazo de 15 dias. Como os manifestantes se recusaram a sair do local, foi determinada a reintegração de posse em favor da dona da fazenda Serra da Laje, Clarissa Uchôa Ricardo.

Ao todo, 130 barracas foram montadas na propriedade, mas, segundo o oficial de Justiça, apenas cerca de 70 famílias estavam no local. Elas prometem ir para uma praça desocupada localizada em União dos Palmares para reivindicar a entrega de moradias por parte da prefeitura. 

"O clima está tranquilo. O Centro de Gerenciamento de Crises está conversando com os invasores e eles aceitaram sair. Eles têm casa em União, mas a maioria vai ficar na praça", afirma Robert Manso. "Segundo informações do conselho tutelar e da secretaria de assistência social de união, a maioria do pessoal, 95%, tem casa na cidade".

Para auxiliar na retirada dos pertences, dez caminhões e 50 homens foram disponibilizados pela dona da fazenda. A expectativa é que a desocupação acabe ainda nesta segunda-feira. Além do Gerenciamento de Crises, a tropa da Polícia Militar de União, o Conselho Tutelar e equipes das Secretarias de Saúde e Assistência Social.

 Por Larissa Bastos | Portal Gazetaweb.com

Comentários 1

O comentário não representa a opinião do blog. A responsabilidade é do autor da mensagem.
  1. Junior escreveu em 05/02/2018 21:47:45:

    Esse povo e todos de ZA . kil tudo farinha dessa coja de ladão . vcs vão ver que vai acontece com os terrenos dos cojuntos novos . os veriador da bancada e os mais próximos desse prefeitos ladrão vão roubar os terrenos do povo do niltom pereira e nova .

Poste o seu comentário